Mafalda Lopes e Francisca Veselko sagraram-se campeãs nacionais de 2018, em Sub 18 e em Sub 16 respetivamente, anteontem, na praia do Cabedelo, em Viana do Castelo, onde se realizou a Finalíssima destas categorias do Campeonato Nacional de Surf Esperanças.

“Condições excelentes”, “altas ondas” e “grande nível competitivo” caracterizaram esta prova, que havia sido adiada em agosto de 2018, e que contou com a organização do Surf Clube de Viana (SCV) e da Federação Portuguesa de Surf (FPS).

Mafalda Lopes sagrou-se campeã nacional de Sub 18, seguida por Francisca Veselko, e por Carolina Santos e Matilde Passarinho.

“O meu objetivo, desde o início, era ser campeã nacional. Estou contente! As condições estavam boas. Deu para fazermos o nosso surf e para nos divertirmos. O nível estava alto. Não foi fácil, mas dei sempre o meu melhor”, referiu Mafalda Lopes.

Francisca Veselko conquistou o título de campeã nacional de Sub 16, à frente de Carolina Santos, e de Beatriz Carvalho e Concha Balsemão.

“Estou super feliz! Trabalhei o ano todo para ser campeã nacional. Também gostava de ter conquistado o título de Sub 18 pela primeira vez, mas já estava muito cansada…”, avançou Francisca Veselko, tendo também considerado que, “hoje, tivemos altas ondas, as ondas perfeitas para demonstrarmos o nosso surf e termos uma boa Finalíssima”.

Raquel Otero, atleta da casa, perante prestações muito consistentes das adversárias, terminou em 7º lugar em Sub 16.

“Devido ao intenso calendário da FPS quase todas as datas estão ocupadas ao longo do ano. Apesar de ter sido complicado para o SCV gerir as expetativas até nova data para a Finalíssima, compensou, pois as ondas estiveram incríveis e a prova foi muito bem disputada”, avançou João Aranha, presidente da FPS.

SCV vai organizar o 1º Campeonato da Europa de Surf Adaptado

O SCV vai organizar, entre 20 e 26 de maio próximo, o EUROSURF Adaptive 2019, contribuindo para a afirmação de Viana do Castelo e de Portugal como destinos de eleição de surf adaptado e para que a modalidade seja considerada paralímpica, a curto prazo.

A assinatura do contrato para a realização do Campeonato da Europa de Surf Adaptado, entre a Federação Europeia de Surf, a FPS, a Câmara Municipal de Viana do Castelo (CMCV) e o SCV, aconteceu ontem, no Centro de Alto Rendimento de Surf de Viana (CAR Surf).

João Aranha considera que “a realização desta primeira competição de seleções europeias será um momento histórico para Portugal, para a Europa e para a modalidade”, aproveitando também para agradecer à CMVC “o apoio incrível que tem dado ao surf adaptado”.

“Esta iniciativa pioneira na área do desporto é uma oportunidade para o município se afirmar como destino nos desportos adaptados. Para nós é um orgulho e, em simultâneo, um desafio”, explicou José Maria Costa, presidente da CMVC, avançando que, “este campeonato é também uma homenagem à Marta Paço, um contributo para que Viana do Castelo seja um concelho inclusivo”.

Para Vítor Dias, Diretor Regional do Instituto Português do Desporto e da Juventude, “este 1º Campeonato de Surf Adaptado é o resultado do magnífico trabalho que está a ser feito em Viana do Castelo, quer pelo SCV quer pela Câmara Municipal, que tudo têm feito para que o desporto seja mais inclusivo”.

A candidatura, realizada com o apoio da Fundação do Desporto e da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, beneficiou, sobretudo, da experiência do SCV na organização de eventos da modalidade, numa história que se começou a escrever, de forma mais evidente, a partir de 2016.

“À experiência acumulada, junta-se o facto de termos uma atleta que, recentemente, conquistou uma medalha de bronze, no ISA World Adptative Surfing Championship, na Califórnia, bem como as excelentes condições logísticas do CAR Surf de Viana, as condições naturais da praia do Cabedelo e ainda as infraestruturas turísticas de apoio existentes”, refere João Zamith, presidente do SCV.

“A organização do primeiro Campeonato da Europa de Surf Adaptado representa um grande desafio para o clube. Queremos que seja exemplar e que contribua para que Viana do Castelo seja um destino de surf adaptado friendly, para que o CAR Surf seja um centro único de treino e de preparação de seleções e para que Portugal tenha uma resposta efetiva para a modalidade. Será um ponto marcante deste ano, no qual o SCV comemora o seu 30º aniversário”, acrescentou.